Aprendendo estatística: Antes e depois do Minitab

Logo 40ºO Minitab Statistical Software revolucionou o ensino de estatística e ajudou os alunos a encararem a análise de dados não como um fardo, mas como uma ferramenta relevante e vital. Quarenta anos depois de seu lançamento, o Minitab permanece o pacote líder usado no ensino e no aprendizado de estatística, e sua facilidade de uso o levou do mundo acadêmico para o profissional.

Sejamos honestos: a maioria dos alunos de hoje não morre de amores por estatística. Mas, antes dos computadores se tornarem amplamente acessíveis, a estatística aterrorizava muitos alunos. E por que seria diferente? Por semanas e semanas, os alunos de cursos de introdução à estatística memorizavam fórmulas complexas e trabalhavam duro com tediosos cálculos feitos manualmente. Se houvesse tempo, eles estudavam alguns exemplos teóricos de como os cálculos com os quais estavam trabalhando poderiam ser aplicados em uma situação prática. Analisar mesmo os menores conjuntos de dados nessas condições era uma tarefa enorme.

No fim dos anos 60, o ensino de estatística enfrentou uma crise. Maurice Lee, reitor da faculdade de comércio da Universidade da Carolina do Norte, criticou o curso típico de introdução à estatística oferecido naquela época: falta de relevância prática, ele escreveu: "... chega-se à conclusão inevitável de que o aluno era bem aconselhado a usar as horas que atualmente eram dedicadas ao curso de graduação em estatística para participar das sessões de praticamente qualquer outra matéria oferecida pela universidade".

Uma citação do estatístico da Cornell Walter Federer foi mais direta: "Se a profissão de estatística não tomar uma atitude quanto ao ensino de estatística, outros grupos tomarão".

Introdução do Minitab

A situação começou a mudar em 1972, quando a introdução do Minitab Statistical Software transformou a computação estatística em uma ferramenta viável de sala de aula.

O Minitab não foi o primeiro software de estatística. Mas os pacotes estatísticos disponíveis para computadores de mainframe em meados dos anos de 1960 não eram adequados para o ensino. Um pacote desenvolvido pelo National Institute of Standards and Technology (Instituto Nacional de Padrões e Tecnologia), chamado OMNITAB, era poderoso, mas não era fácil de usar. Com a meta de facilitar o aprendizado da estatística, os estatísticos da Penn State Tom Ryan, Brian Joiner e Barbara Ryan criaram uma versão mais acessível do OMNITAB, que se tornou a primeira versão do Minitab.

O uso do Minitab em cursos de introdução ajudou os alunos a ver o valor prático da estatística. Reduzindo a quantidade de computação pesada necessária para fazer inferências estatísticas, o Minitab permitiu que os alunos tivessem mais tempo para refletir sobre o significado de suas análises. O ensino de estatística nunca mais foi o mesmo desde então.

Seus criadores listaram quatro benefícios imediatos para aprender estatística com o Minitab:

  • A eliminação da sobrecarga computacional ajudou os alunos a absorverem os conceitos importantes sem se perderem em uma enorme quantidade de detalhes.
  • Foi possível estudar um grande número de conjuntos de dados reais, aprimorando a capacidade dos alunos de transferirem o conhecimento teórico para situações práticas.
  • A representação gráfica dos dados de diversas maneiras se tornou um procedimento operacional padrão.
  • A simulação passou a ser usada como ferramenta de aprendizado.

O uso do computador em um curso de introdução também facilitou aos alunos aprenderem técnicas mais avançadas. Por exemplo, a quantidade de cálculo manual necessária era um grande fator impeditivo no ensino de métodos não paramétricos. O Minitab eliminou essa barreira.

Minitab deixa sua marca na educação

Em 1976, o The Minitab Handbook (Manual do Minitab) detalhou como usar o software em sala de aula. Em uma análise, James Inglis, da University of Rochester, enfatizou o impacto do Minitab: "Com o Minitab tirando tanta importância da computação, ênfase... pode ser transferida da computação para questões mais amplas da análise de dados que os estatísticos e experimentadores podem enfrentar: Qual modelo deve ser usado? As suposições são apropriadas? Como interpretar gráficos, números e resultados de teste? Qual é o significado prático da análise estatística? Ele oferece uma oportunidade melhor nunca oferecida antes para instrutores apresentarem aos alunos a forma como os estatísticos realmente analisam dados, sem passar muito tempo ensinando computação".

Os educadores de estatística testemunharam grandes benefícios em sala de aula. Ruth Hubbard, da Universidade de Tecnologia da Queensland na Austrália, usou o Minitab em um curso criado especificamente para alunos que tinham poucos conhecimentos matemáticos, mas precisavam aprender estatística porque era um componente importante da maioria das disciplinas. "Os alunos adoraram usar o Minitab para fazer os exercícios", ela relata. "A produção dos próprios resultados no computador parecia dar a eles um senso de poder e domínio sobre o assunto. Se eles cometessem um erro, era fácil consertar. Eles ficavam intrigados pelos resultados inesperados nos documentos impressos e ficavam ansiosos pela sua explicação".

Mas o software não apenas ajudou os alunos que não tinham um forte conhecimento de matemática; ele facilitou o ensino de conceitos importantes para todos os alunos. "Diversos conceitos são mais bem ilustrados com o uso de um pacote estatístico fácil de usar como o Minitab", afirma Timothy O’Brien da Universidade de Loyola. "Meus alunos produziram histogramas com facilidade... ilustrando o Teorema Central do Limite para uma proporção de Bernoulli quando n = 100 e p = 0,40 e quando p = 0,05. Muito embora a última situação mal satisfaça o critério usual de "grandeza" (do tamanho de amostra, isto é, tanto n x p quanto n x (1-p) pelo menos 5), os alunos puderam ver facilmente que a aproximação normal era duvidosa para esse caso".

Minitab hoje

O Minitab Statistical Software permanece o pacote estatístico líder no mundo para o ensino de estatística, usado em cerca de 4 mil universidades mundiais. Mais pessoas aprenderam estatísticas com o Minitab que com qualquer outro pacote estatístico. Evidentemente, o fácil acesso ao poder estatístico torna o Minitab tão útil aos profissionais quanto para os alunos. Aprendendo com Minitab, os alunos obtêm uma vantagem no mercado de trabalho, porque o Minitab é também o software mais usado em iniciativas de aprimoramento de qualidade nas empresas e nas indústrias.

Muitos profissionais que usam o Minitab hoje lembram muito bem como era aprender estatística sem o software, "Aprendi estatística duas vezes", conta Paulo Scheidegger, consultor sênior da INDG, a maior empresa de consultoria de gestão do Brasil. "No começo dos anos 70, quando era aluno de pós-graduação, meus professores usavam técnicas antigas que enfatizavam bem mais a teoria e quase não abordavam exemplos e usos na prática. Nem preciso dizer que foi doloroso aprender e esqueci tudo assim que me formei. Muitos anos depois, tive que atualizar meus conceitos para ajudar com o controle de qualidade em meu emprego anterior e conheci o Minitab. Uau! Como era fácil gerar enormes quantidades de dados para verificar meus conceitos e realmente ver quais mudanças ocorreriam com essa ou aquela suposição. Logo eu me habilitei a ensinar estatística básica para meus colegas, partindo de um ponto de vista prático. Aos sessenta e poucos anos, ainda estou aprendendo, e agora estou realmente envolvido em ensinar estatística como consultor, mas às vezes fico imaginando como seria se eu tivesse conhecido o Minitab lá nos anos 70".

A diferença entre aprender e ensinar estatística antes e depois do Minitab é muito clara para Alvaro Miró, Diretor Executivo da FORMATEX, uma empresa de consultoria argentina. "Antigamente, ensinávamos usando teoria pesada, com teoremas, propriedades, etc... e usando fórmulas muito complexas, tabelas pesadas e exercícios intermináveis para resolver problemas simples, como uma curva característica de operação (CO) ou uma correlação simples. Os alunos realmente detestavam isso, pois o valor verdadeiro da estatística não era aprender a fórmula do sigma ou a distribuição binomial, mas as aplicações dessas fórmulas para os problemas. Era uma matéria muito difícil de ensinar e tudo era número. Hoje, ensino em empresas e é um grande prazer usar o Minitab, falar sobre conceitos e poder demonstrar o verdadeiro propósito da estatística".

Se você ainda não estiver usando o Minitab Statistical Software,  baixe uma avaliação gratuita de 30 dias!

Ao usar esse site, você concorda com a utilização de cookies para análises e conteúdo personalizado. Leia nossa política

OK